Senta aí que vou contar te uma história… Desde que a Kenia chegou aqui em casa para passar alguns dias comigo estamos planejando ir até Pedra Bela. A meta era razoavelmente simples, era só pegar o carro dirigir por uns 20 minutos e já estaríamos no local. Só que aí aconteceu o de sempre, um monte de empecilhos acabaram surgindo no meio do caminho para atrapalhar. Um dia choveu demais, no outro perdemos o horário, enfim… empurramos o passeio para depois porque nunca surgia o momento “ideal”. Só tem um detalhe, o momento ideal não ia surgir mesmo, até porque ele não existe! Nada na vida é 100% ideal, por isso o melhor que temos a fazer é lidar com as situações de uma maneira corajosa.

pedra_1

Ontem falei para Kenia que ao invés de vermos o pôr do sol nós deveríamos arriscar e sair para ver o nascer do sol. Concordamos que estava na hora de parar de protelar e colocar nossos planos em prática. Pode parecer bobagem, mas essa pequena meta não cumprida estava me deixando desanimada. Era algo banal que eu não conseguia colocar em prática, e isso me deixa com a sensação mista de ansiedade e impotência.

Então, hoje lá pelas 5:28 da manhã o alarme tocou. Pulamos da cama e começamos a fazer os preparativos para sair. Não foi nenhuma surpresa quando percebemos que o dia ia amanhecer numa baita neblina. Somos as rainhas do azar. Sério, não dava para ver um palmo na nossa frente! Blz, exagerei um pouco, dava para ver algo sim, mas estava com muita neblina!

Dentro de mim foi batendo um desânimo, uma vontade de voltar para a cama. Sabe aquela sensação de desânimo de algo que você ainda nem fez? Então! Bateu isso em mim. Um murro da cara. E quando eu já estava quase desistindo me bateu uma última pontinha de coragem. Parei para pensar e percebi que estava errada. Eu tinha que ir, sem essas desculpas baratas. Tomei vergonha na cara e me obriguei a ligar aquele carro e sair de casa. A Kenia concordou e lá fomos nós!

O resultado? Quando chegamos na Pedra o sol já havia começado a nascer, mas mesmo assim foi lindo! As montanhas estavam todas cobertas, só aparecia os picos e bem na nossa frente havia um mar de nuvens e neblina. Tudo branquinho e o sol surgindo  lindo só para a gente. Até porque nós éramos as únicas pessoas por lá.

pedra_2

pedra_3

pedra_4

Aos poucos a cerração foi se dissipando e a cidade foi surgindo aos poucos. Foi tão lindo, simples e aconchegante. Quanto mais eu via aquela natureza toda mais alegria sentia por ter enfrentado o desânimos e os motivos contrários (sem muito sentido, por falar nisso) que eu havia formulado na minha cabeça para deixar para depois essa subida na Pedra.

Duas coisas que quero praticar mais esse ano:

Não deixar para depois o que posso fazer hoje só por medo ou preguiça. Isso quer dizer, colocar em prática os meus planos com mais empenho. Se caso falharem que não seja pela minha falta de vontade e ação.

Arriscar, testar e tentar mais vezes. Nunca vou saber se não fizer primeiro, certo? Então vou me esforçar a testar mais e persistir naquilo que eu acredito. Nada de auto sabotagem!

Essa ida para Pedra Bela me ensinou uma lição muito simples, mas importante, que pode ser resumida em duas letras: IR! Isso mesmo, só IR. Independente das situações, dos riscos, dos meus medos e preguiças. Precisamos parar de colocar empecilhos e buscar soluções.

Nós tiramos muuuuuitas fotos. Foi difícil escolher as minhas favoritas, mas me esforcei para escolher as melhores para não deixar esse post muito extenso. Vocês se importam quando faço postagens com muitas fotos?

pedra_5

pedra_8

pedra_6

Esse mar branquinho é tão lindo!! Poderia passar horas olhando para essas nuvens entre as montanhas sem me cansar. Pena que passa tão rápido.

pedra_7

pedra_13

pedra_11

Aproveitamos o momento que estava perfeito para fazermos o culto. Fizemos a leitura da Bíblia, cantamos e tomamos chá. Para mim a melhor igreja é essa aí… a natureza <3

pedra_9

pedra_34

Um brinde com chá de verde com abacaxi, hortelã e gengibre. Nem estava tão frio assim, mas para mim é só bater um ventinho que eu já acho que está na hora de aquecer o bule e colocar um casaco. Dentro de mim é sempre outono e inverno (minhas estações favoritas do ano). Fazer o quê…

pedra_16

pedra_15 pedra_18

Quando o sol já estava alto a Kenia tirou umas fotos minhas. Aproveitei para usar o cachecol que fiz para a minha lojinha no Instagram. Gostei tanto desse cachecol de listras! Deu um bom trabalho, mas o resultado me encheu de alegria e orgulho 🙂

pedra_23

pedra_19

pedra_21

A pessoa aqui ficou toda feliz com a combinação de chá e montanhas. Quer mais amor do que isso? Bem… Podia estar frio, mas não quero reclamar.

pedra_22

E depois que a neblina sumiu por completo as montanhas estavam lá, todas verdinhas. O céu acima de nós estava de um azul tão intenso que dava até vontade de chorar de tão lindo! Nas fotos abaixo eu só aumentei o contraste para ressaltar a cor linda do céu.

pedra_24 pedra_25 pedra_26

Kenia aproveitou para documentar também.

pedra_28 pedra_32

Algumas horas depois nos despedimos com o coração grato e alma transbordando de alegria! Comentamos na volta o quão bom tinha sido, o quão bom foi sair apesar de o dia ter começado bem fechado e com aparência de nublado. Valeu a pena tentar! É aquele velho ditado, “quem não arrisca não petisca”… Bem manjado, mas é por aí mesmo.

pedra_31

Para terminar esse post vou indicar uma música que estou ouvindo enquanto escrevo. Espero que gostem e desejo muitas surpresas boas e aventuras para vocês!

pedra_40

pedra_36

Até a próxima pessoal!

Com amor,

Hady