Processed with VSCO with f2 preset

Estou me sentindo uma reclamona nos últimos tempos. Se me perguntarem como a anda vida logo digo “Tá tudo bem”, mas se alguém mostrar um pouco de interesse nas minhas mazelas cotidianas logo complemento “uma loucura, tanto estudo, o trabalho então nem se fala, cansada, com sono…” Aí entra o meu modo reclamona. Mas fazer o quê… Semana passada tive vontade de chorar, sou boa nisso. As lágrimas brotam descontroladamente e sem muito esforço. E é bom, sabia? Lava a alma e alivia. Pois bem, semana tive vontade de chorar para desabafar, mas as lágrimas não brotaram. E logo vi que eu não tenho tempo para chorar. Sequei. Quem diria.

Não quero me estender nas reclamações. Então venho por meio desse post dizer que três coisas muito boas me aconteceram nas últimas três semanas. Tive minha primeira aula no curso de gastronomia, entreguei meu TCC e fiz a defesa da pós, entreguei um projeto profissional que me tirou o couro durante esse ano.

Mas posso reclamar de novo? O mundo anda tão estranho, as pessoas tão perdidas, tanto ódio, tanta intolerância… mas ainda tem tanta coisa boa, sorriso de criança, sorvete em dia quente, vento no rosto, pé no chão, subida de montanha. E assim continua a vida, uma puta sádica. Que me faz apaixonar por elas todos os dias, mas no fundo fico me perguntando se não é muito investimento por uns minutinhos de prazer.  Porém me sinto grata. Grata e reclamona… provavelmente bipolar mesmo.

No resumo, se me perguntarem como anda a vida repito Chico:

“Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
Uns dias chove, noutros dias bate o sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

Muita mutreta pra levar a situação
Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
E a gente vai tomando que também sem a cachaça
Ninguém segura esse rojão” – Meu Caro Amigo 

Então por favor me dá mais uma dose aí.

cotidiano-vuou-13

cotidiano-vuou-10

cotidiano-vuou-12

cotidiano-vuou-14

cotidiano-vuou-15

cotidiano-11


Com amor,

Hady.