Comida

Receita de biscoito inspirada no filme O Fantástico Sr. Raposo

Toda vez que assisto a um filme acabo me envolvendo não só com a história, mas também com os personagens e ambientes. Gosto de prestar atenção nos detalhes e tirar referências e inspirações. E atualmente um dos diretores que vem me conquistando é o Wes Anderson. Gosto muito do trabalho dele, principalmente da direção de arte! É maravilhosa! Apesar de acreditar que ele tenha um sério problema com TOC, acho que ele faz um trabalho primoroso.

Continue reading

You may also like
Uncategorized
Receita: Cuscuz Marroquino com pimenta doce
12 de Março de 2017
Uncategorized
Experimentando: Stroopwafel
20 de Janeiro de 2017
Uncategorized
Receita: Cookies Veganos de Chocolate
8 de Janeiro de 2017
Literatura

Os Retalhos de Craig Thompson

Quando terminei a última página do livro, lembro-me que pensei “que corajoso!”

Retalhos é uma obra que que aborda de maneira profunda, delicada e sincera os principais questionamentos e mudanças da vida, mas que poucos têm coragem de mostrar com tanta transparência e poesia.

Não é um livro pequeno, creio que umas 600 páginas, mas passou tão rápido! Li numa sentada só, e depois de algumas horas já havia terminado. Sou meio suspeita para falar sobre Craig Thompson, desde que li Habibi desenvolvi uma “quedinha” pelo trabalho dele. E dessa vez não foi diferente, novamente ele me impressionou com a sensibilidade da escrita e desenhos.

vuou

Numa narrativa auto biográfica permeada de uma ordem não cronológica dos fatos, Craig nos leva para sua infância em uma pequena cidade do estado de Wisconsin. Criado em uma família cristã e extremamente rígida o pequeno Craig desenvolve o gosto pelos desenhos como uma maneira de escapar do mundo e dos problemas que enfrenta em relação à pobreza, bullying e opressão religiosa. Ao percorrer seu amadurecimento até a entrada na universidade o autor nos mostra através dos quadrinhos seus questionamentos, sofrimentos, incertezas, primeiro amor e as descobertas maravilhosas e dolorosas que resultam.

Em todo o livro é perceptível o grande choque que ele teve em relação à religião. Mesmo tendo sido criado como um “bom cristão”, Craig deixa claro que a religião e a pressão que seus pais e pastores colocaram em cima do nome de Jesus não foi lá muito benéfica. A religião é colocada como pano de fundo para os principais questionamentos de sua vida. Achei de uma sinceridade imensa ele abordar esse tema. Creio que ainda exista um imenso tabu em relação ao cristianismo. Como se fosse proibido em certas famílias, e religiões, questionar práticas, ou sufocar dúvidas como se isso fosse proibido ou te tornasse um pecador.

vuou

Esse livro é tão tocante porque é íntimo, como um diário contando em detalhes mais profundos sentimentos de um jovem ainda por descobrir o mundo e a si mesmo.Por isso acho tão corajoso!

Craig deixa claro que apesar dos traumas e das decepções todos nós queremos deixar nossas marcas pelo caminho, mesmo que momentâneas, elas ficam lá como sinal que precisamos continuar a caminhada.

You may also like
Entretenimento Filmes e Séries
Extraordinário: a empatia vista através de diferentes ângulos
16 de dezembro de 2017
Literatura
Resenha: Solanin – Inio Asano
4 de dezembro de 2017
Literatura
Destination Simple – rituais diários para uma vida com mais calma
17 de novembro de 2017
Diário

Quando a melhor escolha é ficar

Na faculdade eu tinha duas metas de vida, a primeira era me formar e a outra morar fora por um ano. Durante todo o tempo que passei estudando planejei meu futuro dessa forma. Passei a economizar dinheiro e a guardar meu salário do estágio para essa finalidade. Quem me conhece sabe o quanto isso era importante para mim, o quanto havia planejado morar em outro país.

Mas se tem uma coisa que preciso aprender é, “nunca, nunca, dê planos futuros como certos”. O ano de 2014 foi uma loucura sem fim! Com o TCC, formatura e a necessidade de tomar escolhas que influenciariam profundamente o percurso da minha vida, me vi reavaliando meus conceitos sobre o que era liberdade, responsabilidades e o que eu gostaria de construir com as oportunidades que surgiram. No segundo semestre de 2014 algumas portas se abriram de maneiras inesperadas! E tive duas opções; pegar o dinheiro que juntei e tentar a vida lá fora e no prazo de um ano voltar para o Brasil e recomeçar do zero, ou aproveitar as chances que apareceram para abrir meu próprio negócio, me estabilizar e poder trabalhar em qualquer lugar do mundo.

Minha mãe sempre me disse “Hadassah você é muito exigente consigo mesma”, eu pensava que isso era um defeito. Mas hoje mudei de ideia, e levo como um ponto forte. Sim, sou muito exigente e isso às vezes é meio ruim, ao passo que também me ajuda a lutar comigo mesma todos os dias, a superar minhas fragilidades e buscar dar o melhor das minhas forças. Eu sou a favor da liberdade, de escolher seus próprios caminhos, mas tenho uma grande noção do que eu preciso fazer, independente das minhas vontades. Sempre fui assim. Vejam bem, nunca fui uma pessoa rica. Minha família conquistou tudo com muito trabalho, somos abençoados e não tenho do que me queixar, mas desde pequena aprendi com meus pais a dar valor ao trabalho, a ter responsabilidade e a pensar no meu próximo. A grande verdade é que tudo isso pesou. Em pouco tempo farei 23 anos, e quando percebi que não sou mais uma menininha decidi assumir o papel de mulher, tomar minhas oportunidades e crescer, mesmo que isso signifique mudar de planos.

No fundo eu sabia que a maior loucura seria ficar. Abrir um negócio e trabalhar por conta própria. Não tenho experiência, acabei de me formar e estou metida a andar sozinha, isso sim é um desafio! Mas graças a Deus tenho o apoio da minha família e estou feliz em ter voltado para o interior, de poder trabalhar do quintal da minha casa e ter a flexibilidade de unir projetos pessoais com o profissional. Ainda estou no começo e não posso garantir que esse será o trabalho para toda vida! Mas sei que estou aprendendo muito sendo minha própria chefe e morando aqui no meio do mato (hahahaha). Sinto que faço a coisa certa, não sei como nem tentarei explicar, mas estou com a paz de estar em paz com tudo.

Não sei quantos aí vão optar por trabalhar por conta ou vão desistir de uma viagem para abrir o próprio negócio. Também pode ser o contrário, desistir de tudo que tem para viver rodando o mundo, quem sabe. As histórias e realidades são diferentes. Mas se tem uma coisa que posso dizer é, tenha um propósito de vida e não apenas metas. Metas são etapas a serem conquistas e isso é muito importante, mas propósito é o desejo de alcançar algo além de metas. É um designio, um objetivo de vida. Eu mudei algumas metas na minha vida, mas não mudei meu propósito. Com isso em mente estou conseguindo lidar melhor com as decepções, ficando mais flexível e aproveitando as oportunidades.

Fazemos muitos planos para o futuro e às vezes eles não acontecem, seja por influências externas ou até por nossas próprias escolhas. Mas há certas pessoas que se desesperam quando as coisas não saem ao pé da letra, e outras que não se preocupam em mudar de ideia pelo caminho e tomar uns atalhos. E sinceramente não estou afim de me desesperar pelos tropeços da vida, e você?

 

You may also like
Fotografia
Conheça Isolda e Babette
22 de novembro de 2017
Diário Vida
Diário de um feriado
2 de novembro de 2017
Diário Vida
Boas notícias do lado de cá
30 de outubro de 2017
Literatura

Como melhorar os hábitos de leitura

Não é segredo para ninguém que sou totalmente fissurada por literatura. Sou o tipo de pessoa que sempre está lendo vários livros ao mesmo tempo, com uma porção ainda para serem lidos na estante, e tantos outros na lista de desejos. O que posso fazer? Cada um com seus vícios, e o meu são livros e derivados.

Com o tempo as pessoas começaram a me perguntar como eu fazia para ler tanto, e outras que diziam que gostariam de fazer a mesma coisa, mas que não tinham paciência. Aqui mesmo no blog já recebi comentários e e-mails de pessoas pedindo dicas para se aprofundar no universo do livros ou aprimorar o gosto pela coisa. Então decidi abordar esse tema, espero que ajude aos atuais e futuros leitores.

vuou

1-) Comece lendo o que te interessa

Não sei se tem um método comprovado cientificamente para você aprender a gostar de ler, comigo foi uma coisa muito natural. Por estudar em casa e não ir à escola os livros acabaram tornando-se minhas portas para o mundo. Então desde pequena li muito, porque eram nas páginas que eu encontrava inspiração, conhecia amigos e descobria novos lugares. Hoje em dia é quase uma dependência, ler é fundamental exatamente porque considero os livros minhas melhores companhias. Então, acho que o primeiro passo é você deixar-se envolver por esse universo.

Que temas você gosta? Comece a pesquisar títulos e autores que seguem uma linha que você acha interessante. Há muita coisa no mercado de publicações, desde os clássicos até a essas paradas de zumbis e romances melosos. Você não precisa necessariamente ler Guerra e Paz, que um é baita livrão (por sinal na minha lista de próximas leituras) só para provar que é um bom leitor, ou com um gosto mais refinado. Leia se você quiser, resumindo leia o que você gosta! Para começo de conversa literatura é um campo muito abrangente. Você pode ler livros teóricos, auto-ajuda, romances, biografias, distopias, ficção científica, enfim… pode estudar, analisar e entreter-se. Livros não são chatos, talvez você só não tenha tentado com o livro certo.

2-) Estabeleça metas

Então tá difícil ler tudo o que você quer? Te entendo perfeitamente! Eu tenho uma pilha de livros que preciso ler até o final do ano, isso tirando os que quero adquirir. Então de uns tempos para cá fiz metas de leitura. Comecei a fazer listas, por exemplo; vou ler Razão e Sensibilidade até o final de Janeiro, ler um capítulo do livro do Pondé, no mínimo por semana, ler um livro da coleção Brumas de Avalon por mês, e quero começar pelo menos um clássico (colossal) até o final do ano, e assim por diante. Estabelecendo metas dá para saber a onde você quer chegar, quais livros ler e organizar prioridades.

vuou hadassah sorvillo

3-) Faça anotações

Quer se envolver com um livro? Então use e abuse! Eu gosto de ler fazendo marcações com post-its, grifando textos e escrevendo notas de rodapé. Claro que não faço isso com todos os livros. Para livros de estudos eu rabisco mesmo, agora há outros que fico com muita dó, então marco com post-it as páginas e citações que mais gostei ou depois anoto em um caderno à parte. Essa prática me ajuda muito na hora de relembrar o conteúdo e fixá-lo na mente. Além disso, é muito legal pegar um livro e ver suas antigas marcações.

4-) Reserve um tempo

Desligue um pouco a TV, sai do WhatsApp, vá para um lugar agradável, senta e lê! Com a correria do dia a dia, ficamos tão acostumados à agitação que quando sentamos para fazer algo mais calmo e que requer atenção acabamos perdendo a paciência e o foco. Gente, vamos lá, exercício mental. Desligue-se de tudo e se liga em uma viagem que só pode começar se você permitir de verdade. Com o tempo vai ser mais fácil, hoje leio em qualquer lugar, o mundo pode cair do meu lado, tudo bem, estou de boa com meu livrinho.

vuou hadassah sorvillo

5-) Converse com pessoas que gostem de livros

Quer coisa melhor do que conversar com alguém que pode te dar dicas de livros, ajudar na leitura ou compartilhar experiências? Envolva-se nesse universo! Aposto que tem algum bibliógrafo aí perto de você que pode te dar uma mãozinha. Não tenha vergonha de perguntar. Peça ajuda de quem sabe um pouco mais, ou aumente sua gama de fontes. Na internet tem uma porção de sites que podem facilitar isso para você. Eu gosto muito de alguns canais no youtube voltados exatamente para o universo da literatura como o canal da Tati Feltrin, que é o meu favorito! O Minha Estante que é extremamente engraçado, o canal da fofa e querida Mell Ferraz, e alguns internacionais como o Booksandquills, Little Book Owl, The Readables, e por fim o da Ariel Bissett. Me identifico muito com ela. Além do gosto em comum por George Orwell acho muito legal como ela expõem seu gosto por livros. Ah e tem o meu canal, que não é bem literário, mas tem umas resenhas por lá, prometo gravar mais vídeos assim que o universo permitir! E também  tem sempre a opção de montar um clube do livro. Esse ano eu a Nicky montamos um clube pelo Facebook, e nossa primeira meta é ler todos os livros da Jane Austen em ordem cronológica de publicação, o bom é que uma motiva a outra! Vou aproveitar o momento para mandar um beijo para as meninas do clube! <3

vuou hadassah sorvillo

6-) Experimente coisas novas!

Sabe aquele papo de sair da zona de conforto? Então, isso também vale na área da literatura. Se você já está em um ritmo legal de leitura comece a pensar em experimentar coisas novas. Por exemplo, você nunca leu um clássico, então… que tal tentar? Ou quem sabe dar um tempinho no YAs da vida e começar a ler um filósofo, ou ainda se você só lê livros técnicos talvez esteja na hora de se divertir um pouco e pegar um romance leve para relaxar. Não há nada de errado em ler coisas diferentes, isso não vai te fazer melhor ou pior do que ninguém. Eu estou tentando fazer o mesmo. De uns tempos para cá comecei a ler desde livros infantis, até filosofia, romances históricos, distopias, etc. Além de experimentar autores que eu jurava que não iria ler, como o John Green (por favor não me matem!). Acho legal você ler algo que não costumaria escolher, isso quebra alguns preconceitos. Eu tenho os meus e quero ter a chance de confirmá-los ou dar o braço a torcer, e dizer “é… estava errada”.

That’s All Folks!

Espero ter ajudado um pouco, e se alguém aí tem alguma dica, pedido ou ideia, compartilhe nos comentários. Adoro ler o que vocês escrevem.

Um grande abraço a até a próxima!

 

You may also like
Literatura
Resenha: Solanin – Inio Asano
4 de dezembro de 2017
Literatura
Destination Simple – rituais diários para uma vida com mais calma
17 de novembro de 2017
Literatura
Em Algum Lugar nas Estrelas (Clare Vanderpool)
20 de julho de 2017
Viagens

De magrela é mais legal

Ontem publiquei uma foto de uma pedalada que fiz no Instagram, e a Vitória e a Cris vieram me perguntar como eu havia começado a andar de bike e como organizava minhas viagens. Então decidi dar uma pincelada bem por cima sobre o tema, mas prometo escrever com mais detalhes em posts futuros. É que tem tanta coisa para falar que só em um post não ia dar para explicar tudo. Mas fiquei muito feliz pelo interesse, então prometo que vou escrever mais sobre o assunto. Então vamos começar!

vuou

Nunca fui fanática por esportes, daquelas que torcem para times ou que acompanham competições, não sei, isso simplesmente não me chama atenção. Mas desde pequena minha mãe promoveu a prática de atividade físicas em casa, ainda pirralha fiz natação, tentei ginástica artística (lembro até hoje que chorei quando me colocaram na roda para praticar saltinhos hahaha), e fiz dança durante muitos anos, em específico a minha favorita o ballet clássico. Logo que entrei na faculdade virei uma sedentária convicta, precisei largar a dança e como vivia trabalhando quase não tinha tempo para fazer mais nada, além de estudar e trabalhar.

Nunca curti essa coisa de fazer academia, e só de pensar me dá um tédio! Mas onde eu morava não havia muitas opções além dos pesos e esteiras, então fui ficando cada vez mais e mais enferrujada. Até que um dia decidi experimentar andar de bike com o meu pai. E nossa, me apaixonei! Andar de bike é a junção de tudo o que eu gosto. E devo agradecer ao meu pai, pois foi com ele que comecei a fazer trilhas e viagens. Andar de bike virou um estilo de vida para a minha família.

vuou

Por quê andar de bike é tão legal?

Na minha opinião é porque a bike te propicia novas descobertas. Fazer trilhas, cruzar cidades e até estados significa descobrir novos lugares, ver belas paisagens e experimentar novas sensações. Além disso todo o trajeto é feito pelas suas próprias forças, você que tem que conseguir chegar ao destino, é quase uma questão de honra! E é muito legal depois parar para pensar e ver que “uau, consegui chegar até aqui!”. Andar de bike é algo muito íntimo, é uma luta constante entre desistir ou cumprir uma meta.

Como começar a andar de bike?

Acho que começa pela vontade e claro, pelo fazer. Se você se interessa pelo assunto é legal pesquisar sobre o tema, encontrar clubes de pessoas que se reúnem para pedalar em sua cidade, e se não achar pense em montar um. Convide amigos, que vão convidar amigos, e assim por diante. Para percursos mais longos costumo andar com meu pai, minha irmã, o Fernando e esposa dele a Jaque. Agora quando é pelas redondezas aqui do sítio vou sozinha mesmo. Grupos são legais para você se manter motivado e para dar assistência caso algo de errado aconteça.

Também é legal saber o que você quer praticar com a sua bike, por exemplo há vários modelos de bicicletas que atendem a várias modalidades. Eu sou adepta do mountain bike e cicloturismo, então eu preciso de um modelo de bicicleta que me atenda nisso. Não adianta colocar uma bike bonitinha toda no estilo vintage, que rodaria muito bem na cidade, mas que no meio do mato ia ser um trambolho. Além de acabar com a bike só ia me causar dor de cabeça. A bicicleta é uma extensão de você, então escolha muito bem o modelo, e pense nas suas necessidades.

Como treinar?

Olha eu não sei se tem muito segredo, vou falar como eu faço. No começo é uma droga! Você não consegue subir morros, demora para chegar nos destinos e andar 10km é uma tristeza! Mas não tem como, é só com a prática que você pode melhorar. O ideal é começar devagar, sem colocar a carroça na frente dos bos. Se você nunca, nunca, andou de bike comece a dar umas voltas no parque da sua cidade, depois vai aumentando aos poucos a dificuldade e os obstáculos. Confesso que eu ainda não estou no nível que gostaria de estar, mas sei que já melhorei bastante e isso me motiva a continuar. Antigamente ir até a minha cidade era um sacrifício, e hoje eu consigo fazer 60km de estrada ferrada, com subidas bem íngremes no período de uma manhã. Treino, minha gente, é tempo e dedicação.

vuou

Como organizar viagens de bike?

Confesso que peguei gosto mesmo pela magrela depois de uma viagem que fiz em julho de 2014, saindo daqui de casa (Pinhalzinho, SP) até Paraty (Rio de Janeiro). Meu pai já havia feito esse trajeto uma vez com alguns amigos e eu fiquei insistindo que ele fizesse comigo. E finalmente depois de muito tempo conseguimos organizar as agendas e partir para viagem que durou quatro dias. Foi um grupo de 4 pessoas, meu pai, minha irmã, eu e o Fê que é um amigo da família.

Essa foi uma das melhores experiências da minha vida! Cortar o espigão da Mantiqueira, conhecer cidadezinhas do interior de Minas, pegar trilhas em meio a mata fechada para cortar caminho, cruzar com romeiros, conversar com pessoas diferentes é muito bom! Apesar da dor extrema e do cansaço conseguimos cumprir nossa meta. E confesso que já estamos pensando na próxima aventura.

Bem, acho que nem vou responder essa pergunta direito. É que organizar uma viagem de bike não é tão simples assim. Há uma séria de coisas a analisar como: percurso, paradas, quantidade de bagagem, mantimentos, ferramentas para o cuidado das bikes, equipamento de proteção, preparação física, nossa… Uma infinidade de coisas que pretendo abordar em um próximo post sobre o assunto. Creio que assim ficará mais fácil de explicar tudinho com mais detalhes.

vuou

O que é preciso ter para ser um bom “bikeiro”?

Se você leu esse post até aqui então já é um sinal! Não tem muito segredo. Andar de bike começa com uma simples ação, depois vem determinação e metas. Como eu disse lá em cima, andar de bike é um estilo de vida, uma filosofia pessoal. Para mim andar de bike é estar perto da natureza, superar meu corpo e mente, e o mais importante, me divertir! Sair para fora, experimentar os perrengues do trajeto, mas em compensação colher a alegria de ver lugares novos e de chegar ao meu destino.

Para entrar nessa só é preciso ter mente aberta, curiosidade, coragem e persistência. O resto, bem, você descobre pelo caminho.

vuou

You may also like
Uncategorized
Viagem para Aparecida de Bike – Quatro dias na estrada!
2 de agosto de 2016
Uncategorized
Pôr do sol em Pedra Bela com muito amor
30 de Março de 2016
Uncategorized
Hobby: Está na hora de você fazer algo por puro lazer
29 de Janeiro de 2016
Close