circo 21

Foi numa tarde chuvosa de domingo que me juntei ao elenco do circo para acompanhar o último espetáculo da trupe. Enquanto faziam os preparativos para abrir a bilheteria me sentei na plateia vazia e bati um papo com Rodrigo, o malabarista.

circo 23

Ele me contou um pouco sobre a vida no circo, de algumas dificuldades que enfrentam, como instabilidade e preconceito. Mas de tudo o que ele me contou o que mais me marcou foi a maneira como o Rodrigo encara a vida. Entre todas as histórias uma coisa ele me disse, “Hadassah, eu penso assim, dinheiro é uma consequência. Eu faço minha arte por amor. Nunca vou ter uma vida de exageros e luxo, mas terei uma vida legal. Uma vida boa toda vez que vejo uma criança rindo com os meus malabaris. Sou feliz com o circo, rodando o país todo, sou feliz porque faço o que eu amo e porque transmito magia e felicidade para as criaturas mais sinceras da terra, crianças.” Me afastei por um tempo em silêncio. Com a câmera ligada e por de trás do visor vi um mundo novo à minha frente, uma realidade diferente da minha. Pessoas que viviam à margem das convenções e que faziam do show um estilo de vida, uma escolha.

Na hora do espetáculo por um momento desliguei a câmera e fiquei apenas observando a plateia. Tenho que concordar com Rodrigo, o circo exerce uma certa magia nas crianças. Foram tantos sorrisos sinceros, que se divertiam com palhaçadas inocentes, foram tantos suspiros enquanto a acrobata “voava” pelo palco, olhinhos atentos, expressões sinceras de felicidade e admiração. Criança é realmente uma coisa de encantar. Na sua simplicidade elas se permitem viver a fantasia.

Na penúltima sessão da noite juntei minhas coisas, me despedi do pessoal, desejei sorte, entrei no carro e tomei meu rumo.

circo 15

circo 1

circo 2

circo 3

circo 7

circo 18

circo 8

circo 17

circo 4circo 20

circo 19

circo 19circo 23circo 13circo 12circo 23

circo 9circo 9

circo 11

circo 22

circo 13

circo 5

circo 6circo 6circo 10circo 21