marip

Em uma tarde abafada de primavera essa mariposa aí da foto apareceu na varanda de casa, para o delírio e curiosidade da minha família. Ela devia ter uns 10 centímetros e asas muito pequenas para uma mariposa, que não serviam para nada, aparentemente. Ao vermos aquelas asinhas pequenas e deformadas começamos a criar suposições. Será que ela tem algum defeito? Pode ser uma espécie diferente. Nunca vi uma mariposa que não voasse! Será que está para morrer?

A pobre mariposa tentava fugir das mãos da minha mãe de qualquer jeito, buscando sempre ficar pendurada na vertical. Até entendermos o que ela queria demorou um tempo, mas enfim a colocamos em uma árvore pendurada em um das galhos. Ela ficou paradinha e aos poucos foi mudando… suas asas começaram a crescer. As pequenas asas, enrugadas e deformadas, começaram a ganhar forma, força e beleza. Era incrível ver o crescimento e mudança daquela mariposa, bem alí na nossa frente.

Passaram alguns minutos até que as asas estivesse totalmente aberta, e outros tantos minutos para que a mariposa finalmente ganhasse forças para voar. No seu tempo ela ganhou asas e voou para longe.

Fiquei pensando por um bom tempo naquilo que eu havia presenciado, na transformação e amadurecimento da mariposa. A natureza me ensina grandes lições sem pronunciar uma única palavra, sem dar nenhum sermão, sem exigir nada em troca.

Incrível como naquele dia um simples inseto acabou me trazendo paz ao coração, e ensinando a ter paciência.

Às vezes podemos nos sentir deslocados, sozinhos e perdidos por não nos encaixarmos no que as pessoas esperam de nós. Podemos sentir que temos as asas pequenas para o mundo. Tudo parece tão grande e ameaçador que a nossa força parece pequena demais para batalharmos por aquilo que queremos. Podemos ouvir que somos um caso perdido ou que somos diferentes. E sim, realmente somos diferentes. Mas a diferença é algo normal. Ninguém é igual a ninguém. Nenhuma história se repete duas vezes. Nenhuma pessoa sente e encara a vida da mesma maneira. Padronizar os sonhos é uma besteira. Não podemos nos sentir mal por termos ritmos, ideais, crenças e sonhos diferentes.

Asas crescem, elas sempre crescem. Estão, inclusive, crescendo e amadurecendo agora, nesse momento enquanto você me lê. Só que diferente das borboletas e mariposas, a nossa metamorfose acontece constantemente e várias vezes no decorrer da vida. Você já mudou algumas vezes no passado, pode ser que esteja em metamorfose agora, e com certeza mudará no futuro. Aceite as asas que a vida lhe deu, tenha paciência e respeite o tempo para eles tomarem forma.

Tanto na natureza quanto na vida tudo tem um tempo, espaço e propósito. Aquieta o coração, estamos em metamorfose meu caro leitor. E isso não significa estar perdido, muito pelo contrário.