hjpilulasazuis10

Frederik encantou-se por Cati à primeira vista em uma festa de ano novo. Durante um bom tempo eles se esbarraram em algumas ocasiões, mas nada além de amizade rolou entre eles. Cati acaba casando-se e tendo um filho até que um dia eles se reencontram em uma festa, por coincidência de ano novo. Cati está em processo de divórcio e finalmente eles decidem sair.


Papo, cinema, jantar, parecia que a noite ia render, até que Cati abre o jogo e diz que é soropositiva, assim como seu filho. Um mundo novo está logo à frente de Peeters, e uma escolha. Bem, ele acaba optando por ter um relacionamento com Cati apesar de todas as dúvidas e preocupações.

Escrita inicialmente em formato de diário, Pílulas Azuis transformou-se em uma HQ autobiográfica do cartunista suíço Frederik Peeters que narra a sua história de amor com uma mulher e o envolvimento com um vírus que assombra a relação do casal e coloca na mesa questões sobre gerenciamento de sentimentos como: amor, compaixão, medo e desejo. Esse livro permite ao leitor acompanhar, sem rodeios e sentimentalismo barato, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV e todos os ensinamentos que poderiam resultar de uma história de amor como essa. Fiquei simplesmente encantada com a coragem do autor de contar essa história! Com leveza e humor ele não deixou de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre a AIDS, que infelizmente ainda é um grande tabu.

Na trilogia Matrix, a pílula azul representava a fuga para a vida ilusória. Nesta magnífica HQ […] ela é a garantia de que a realidade continua. Sempre cercada de incerteza, medo, desejo, dor, angústia, fé, compaixão e, principalmente, amor – Sidney Gusman, jornalista e editor

Lidar com as recorrentes visitas ao hospital, coquetéis de remédio, criar uma criança, as restrições sexuais, a culpa, medo de transmissão, o pavor da primeira camisinha furada, como contar sobre o HIV para família e amigos, constituir uma família, esse e outros temas são abordados nesse livro de uma maneira tão sincera que o leitor vai quebrando os preconceitos juntos com os personagens. Frederik e Cati amadurecem e aprendem juntos, e nós também aprendemos no decorrer da história. Vemos o lado de Frederik e todas as dúvidas que ele enfrenta, como também o sofrimento e culpa de Cati, ela sentia como se fosse o próprio vírus e que a qualquer minuto poderia fazer mal ao homem que amava, e também tinha o filho de Cati que tinha um futuro incerto pela frente. No meio desse turbilhão foi preciso paciência, uma boa dose de empatia, da ajuda de um médico divertido e humano (desses que sentam com o paciente para conversar), para que o casal finalmente desmistificasse a doença e aprendesse a ter uma vida normal, tanto social quanto sexual, e finalmente encontrasse o equilíbrio do relacionamento. Ambos cederam, e isso mostra que o amor não pode ser pautado apenas na comodidade ou até o ponto em que um ofereça prazer ao outro. Frederik mostra que o amor é uma escolha, um aprendizado, uma admiração que inspira respeito, ele não fala dessa fascinação ou veneração passageira, mas uma admiração que nos deixa alegres e com vontade de compartilhar tanto as coisas boas, como as ruins com outra pessoa. Ele diz que hoje, ele e Cati, já transpuseram o cabo da euforia e das dúvidas do começo do relacionamento. Eles souberam extrair o lado bom das coisas, “não que a nossa vida tenha se tornado totalmente ‘normal’, mas ela atingiu um ritmo de cruzeiro”, ele diz.

Essa HQ foi lançada em 2001 e só agora saiu no Brasil pela editora Nemo, por conta disso essa edição conta com alguns extras. Como, a entrevista que Peeters fez com a sua família após todos esse anos. Cati e o filho estão bem, ambos ainda tomam remédios e continuam a fazer acompanhamento médico, os tratamentos foram tão eficazes que o vírus sumiu do sangue de Cati! Ah, Peeters e Cati tiveram uma filha livre do vírus. Eles pegaram um esperma na camisinha do Frederik e colocaram em Cati com uma seringa. Simples né? Sim, algumas coisas muito complicadas podem tornar-se simples com o passar do tempo, com informação, e principalmente com amor. Amor, com ele até os maiores obstáculos podem virar união, compreensão e admiração.

Livro lindo, sensível, real e maduro. Deixe seu preconceito de lado e afunde numa história de amor que vai além de palavras bonitinhas e frases clichês. 
hjpilulasazuis7

hjpilulasazuis8

hjpilulasazuis3

hjpilulasazuis1

hjpilulasazuis2

hjpilulasazuis4

hjpilulasazuis5

hjpilulasazuis6

hjpilulasazuis11

Ficha do Livro

Título: Pílulas Azuis

Autor: Frederik Peeters

Ano da edição: 2015

Editora: Nemo

Número de páginas: 206 páginas

ISBN: 978-85-8286-159-2

*Minha nota para o livro: 5/5

Me acompanhe pelas redes sociais: FACEBOOK / INSTAGRAM/SKOOB/YOUTUBE/PINTEREST