Em Dezembro de 2015  passei uma semana no Chile, e foi muito legal! Conheci lugares lindos, provei comidas deliciosas, conheci pessoas novas, tombei com um velho amigo, e me aventurei junto com a minha irmã numa viagem só nossa. O resultado vocês acompanharam pelo meu canal do youtubeLá eu fiz um diário de viagem mostrando cada novidade e experiência vivida pelo caminho. O resultado foi tão positivo que recebi vários comentários e mensagens de leitores pedindo dicas da minha viagem. E claro que vou atender aos pedidos. Demorou um pouco, mas finalmente saiu o meu guia de viagem versão CHILE. Nesse post vou explicar um pouco de tudo que eu vi, conheci e senti no país. Também vou falar sobre orçamento, segurança, lugares bonitos para visitar, hospedagem e muito mais! Espero que gostem 😀

Malas prontas, preparados? Então vamos lá!

PASSAGENS

Eu comprei minhas passagem pelo Decolar.com e custou R$661,00 ida e volta, com taxa de embarque. Super em cont,  né? E você pode estar se perguntando “Hadassah mas como você conseguiu passagem por esse preço?”. Bem, eu aproveitei uma promoção, além disse a companhia aérea determinou a data de ida e volta, acho que isso acaba baixando o preço da passagem. Então fiquem de olho, sempre tem uma promoção boa nesses sites.

VISTO, PASSAPORTE E DOCUMENTOS 

Como em muitos países da América do Sul, não é obrigatório o passaporte nem visto para entrar no Chile, basta o seu R.G. O que torna tudo muito mais fácil e menos burocrático. Só não esqueça de levar um R.G atualizado, em bom estado e com uma foto recente. Eu usei meu R.G durante toda a viagem e foi super simples e seguro.

DINHEIRO

Eu tenho um grande travo mental quando o assunto é dinheiro. Sempre me confundo no câmbio ou na hora de dar explicações precisas sobre o assunto. Ainda bem que eu tenho a minha irmã para auxiliar nesse assunto, ela é muito boa nisso! Portanto, eu vou indicar esse post do blog Viajei na Viagem, que me ajudou bastante. Leiam, as informações são muito relevantes! Outra ferramenta que me ajudou bastante foi o aplicativo Meu Conversor, que você pode baixar de graça no google play ou na apple store. Nele você pode converter os valores das moedas seguindo a cotação do mercado no dia, que é sempre atualizada, basta ter internet no celular.

MALA

O Chile é uma país relativamente quente no verão, e no inverno chega a nevar. Então quais são as melhores peças de roupas para usar? droga rimou Depende da época em que você for para o país. Eu fui em dezembro, era para ser quente, certo? Mas peguei algumas temperaturas baixas e outras bem altas. Então varia. Ainda bem que levei um casaco bem quentinho e camisetas de mangas curtas, então deu para alternar numa boa. Mas o básico é sempre a melhor escolha, boas calças, sapatos confortáveis, algumas peças mais fresquinhas e outras mais quentes. Agora, se você for no inverno no intuito de esquiar prepare-se para o frio!

Tente levar o necessário, carregar peso não é uma boa opção, ainda mais para quem está com a mochila nas costas. Analise bem, tende encontrar um equilíbrio na hora de montas as malas, você não morrer se deixar alguns sapatos em casa.

HOSPEDAGEM 

Em Santiago há vários hotéis e hostels espalhados pela cidade. Fiquei no bairro Providencia, e essa é a minha recomendação. No bairro tem vários comércios, restaurantes, fica pertinho do Shopping Costaneira e do Parque Metropolitano e tem fácil acesso ao metrô. Sendo uma ótima opção. Dá para resolver quase tudo por lá, e conhecer a cidade partindo de um ponto de fácil acesso.

O Hostel que me hospedei foi o Hostal Providencia, e é ótimo! O atendimento é muito bom e o local é super aconchegante e seguro. O café já está incluso, mas vou falar mais sobre isso no tópico COMIDAS E BEBIDAS, logo abaixo. Com wi-fi grátis, computadores que podem ser utilizados pelos hóspedes, cozinha com vários utensílios, bar e sala de jogos. A diária fica em torno de 13 USD, em média R$ 50,00. 

Não vou indicar outras opções de hospedagem, porque o Hostal Providencia foi o que eu mais gostei. No primeiro dia tivemos que ficar em outro hostel e não valeu a pena.

SEGURANÇA

Santiago é uma cidade grande, portanto tem lá seus perigos. Nós não tivemos problemas em relação a isso. Claro que guardamos bem o dinheiro, ficamos de olhos nas nossas bolsas e sempre trancávamos as mochilas nos armários do hostel com cadeado. Melhor prevenir do que remediar. Mas o pior mesmo foram os policiais. Várias vezes pedimos auxílio com informações sobre lugares e eles foram super ríspidos. A minha irmã fala espanhol fluentemente e nem assim eles colaboraram! Não deu para contar com a ajuda deles, uma pena 🙁 Espero que não seja assim com todos.

Falando em segurança vou aproveitar para citar o plano de saúde. Eu nunca parei para pensar na importância de ter um, na hora de viajar. Até que assisti a um vídeo do site Nômades Digitais, em que eles comentavam a importância de fazer um plano de saúde. Esse é um dinheiro que você investe torcendo para não usar, mas… vai que precisa. Facilita tudo! Há muitas empresas que fazem um pacote especial para viajantes, é só dar uma pesquisada. Quando eu tiver mais novidades sobre o assunto atualizo aqui no blog.

TRANSPORTE

O transporte em Santiago é bem acessível, há linhas de metrô que atendem a maioria dos lugares de visitação como museus e parques. Também há ônibus que circulam por toda a cidade, e o melhor de tudo, Santiago é uma cidade perfeita para andar de bike! Os moradores vivem de cima para baixo com as magrelas. Fiquei apaixonada. Há várias ciclovias e opções de lojas para aluguel. Então você pode alugar uma bike e aproveitar Santiago numa boa.

Também há sempre a opção de tomar um táxi, mas não posso falar sobre a experiência porque não usei essa opção durante a viagem. O que significa que o transporte público foi super funcional.

Para sair do aeroporto e ir até o centro de Santiago é muito fácil. Há ônibus regulares que ficam na saída do aeroporto. Eles saem de 10 em 10 minutos. Tem duas empresas que fazem o trajeto Aeroporto – Centro: A Centropuerto e a Turbus. A primeira cobra em torno 1,6 mil pesos pelo ticket até o centro. Você pode optar por descer nas estações Central, Universidade de Santiago ou Los Héroes (última parada). Já na Turbus o ticket custa 1,7 mil pesos. Paradas: Los Héroes, Universidade de Santiago, Las Rejas e Paparicos. O ideal é ver em qual dessas paradas há um metrô próximo ao seu hotel ou hostel. Foi isso que eu e a minha irmã fizemos. Paramos perto de um acesso ao metrô e tomamos o trem para chegarmos ao hostel.

Durante a minha estadia no Chile usei ônibus quando precisei sair da cidade e apesar de parecer meio confuso você acaba pegando o jeito. Lá não funciona como no Brasil Aqui nós vamos até a rodoviária e no local verificamos os horários e escolhemos uma empresa que ofereça a viagem até o destino da nossa escolha. No Chile é um pouco diferente. Cada empresa tem a sua própria rodoviária, ou estação, então há várias opções de lugares para tomar o transporte. O que não facilita. O melhor mesmo é pesquisar pela internet e verificar todos os endereços e opções de destinos das empresas.

Se você quiser alugar um carro saiba que no Chile a CNH brasileira não é válida. O motorista deve procurar uma unidade de atendimento do Detran e providenciar a Permissão Internacional para Dirigir (PID) antes de viagem. E não esqueça de usar um GPS!

CHILE_3

COMIDA E BEBIDA 

O Chile é um país conhecido por seus famosos vinhos. Inclusive, há muitos roteiros turísticos focados no tema. Se você é um apreciador, ou apreciadora, da bebida com toda certeza vai se encantar com a diversidade e opções de degustação. Há muitos vinhedos espalhados pelo país e cada um deles oferece um pacotes de: visitação pelo vinhedo + explicação sobre o processo de produção do vinho + degustação dos vinhos da casa.

Visitei dois vinhedos no Chile, o Undurraga próximo a Santiago e Casas del Bosque que fica na região de Casablanca. O primeiro eu optei pelo pacote de visitação e foi bem legal. O local é uma delícia com muita natureza e belas paisagens, tem um parque muito bonito para sentar e descansar debaixo de uma árvore. Uma ótima sugestão para passar uma tarde relaxante. Indico esse passeio porque a vinícola Undurraga fica relativamente perto de Santiago, apesar de estar afastado do centro, não é preciso fazer uma grande viagem para desfrutar do charme de uma vinícola. O tour ficou em torno de R$ 50,00. 

E se você preferir pode comprar os vinhos nos mercados da cidade, que também são muito bons e por preços bem acessíveis. No Chile o vinho é mais barato do que água, sério mesmo! É só dar uma volta no mercado para notar que há muitas opções de vinhos em conta.

Falando em água… No Chile você só encontrará água potável se comprar em galões ou garrafas. Então leve uma grana pensando em gastos essenciais, como água, e leve sempre uma garrafa na mochila. Quanto custa em média a água no Chile? Uma garrafa fica em torno de uns 500 pesos chilenos, convertendo fica algo entre R$2,50 a R$3,00. Faça uma média de seu consumo diário de água e adicione o valor no seu orçamento para a viagem.

Agora vamos falar sobre a comida. O Chile me surpreendeu, no fator valor, os alimentos costumam ser caros, mesmo nos supermercados. E quando digo caro, me refiro a algo semelhante ao Brasil. Você entra no mercado com R$100,00 e sai com quase nada. Então as coisas não mudam muito daqui para lá. Como eu estava fazendo mochilão decidi economizar, então fui preparada para cozinhar no hostel. Além disso havia outro fator, não comemora carne. O que deu muito certo, porque eu não gastei rios de dinheiro e comi super bem! Eu e a minha irmã comemos muitas frutas, como maçã verde e damasco fresco, que não são muito comuns aqui no Brasil. Fiz macarrão, salada e outras coisas bem gostosas. Além disso, o hostel em que ficamos hospedadas oferecia um ótimo café da manhã com pão, leite, café, chá, frutas como laranja e banana, e ovos. Para quem quiser economizar, preparar as próprias refeições é uma ótima opção. Como eu gosto de cozinhar, não foi um problema, porque uni o útil ao agradável. Em Santiago tem muitos restaurantes e fast foods, se você não quiser cozinhar pode optar por comer fora. E quanto custa? Em média o que gastamos em restaurantes aqui no Brasil. Você pode gastar uma boa grana em restaurantes mais requintados ou pagar mais barato em lanches.

No Chile servem muita carne, o forte deles é o pescado e os frutos marinhos. Para quem gosta de peixe o país é um paraíso! Indico que você não saia do Chile antes de provar um pescado com vinho branco. Agora, se você for vegetariano ou vegano há boas opções também, o blog Veg Por Aí catalogou algumas descobertas veganas no Chile. Ou faça que nem eu, prepare a própria comida e lanches 😉

No final da viagem eu a minha irmã alugamos um chalé em frente ao mar em El Tabo. Quem alugou o chalé para a nós foi uma colega da minha mãe. Elas se conheceram quando ainda eram crianças aqui no Brasil. O tempo passou, cada uma tomou seu rumo e acabaram se reencontrando pelo Facebook. O mundo é realmente pequeno! A Elissa entrou em contato com a Edna e ela foi super gentil, alugou o chalé e ainda por cima nos convidou para todas as refeições, inclusive a ceia de Natal (já que fomos para o Chile em Dezembro). Ela cozinha super bem e preparou pratos típicos do Chile para a gente, foi uma ótima oportunidade de conhecer um pouco os sabores do país com aquele toque brasileiro.

O que indico para vocês experimentarem? Suco de frutas vermelhas, o melhor que já provei na minha vida! As frutas, como damasco e maçãs. Castanhas, azeitonas e claro, os vinhos. Nem que seja um pouquinho.

LUGARES PARA VISITAR 

Essas são as minhas sugestões de lugares para visitar no CHILE:

  • Valle Del Yeso, veja mais informações clicando aqui.
  • Visitando o centro da cidade com o Wally, veja o post completo clicando aqui.
  • Plaza de Armas
  • Catedral Metropolitana
  • Casa Colorada
  • Centro Cultural La Moneda
  • Iglesia de San Francisco
  • Bairro Lastarria y Bellas Artes
  • Plaza Mulato Gil de Castro
  • Museo de Artes Visuales, o MAVI
  • La Chascona (casa do Pablo Neruda)
  • Cerro San Cristóbal e Parque Metropolitano
  • Mercado Municipal
  • Valle Nevado (é melhor na época em que estação de esqui funciona, em meados de junho)
  • Valparaíso
  • Isla Negra
  • Viña del Mar

MEU ROTEIRO 

Querem ver o que eu fiz no Chile? Então confiram o diário de viagem em vlogs.






Agora vou responder algumas perguntas que recebi:

Quanto vocês gastaram no total? A bagatela de R$1.600,00, por sete dias no Chile e com passagem de ida e volta inclusa, cada uma.

Uau! Mas como vocês conseguiram gastar só isso? Bem, acredito que há pessoas que viajam por bem menos. Mas eu e a minha irmã queríamos aproveitar ao máximo os nossos sete dias no Chile. Isso incluía fazer passeios legais, experimentar um pouco da cultura e sabores, e de quebra trazer presentes para os nossos pais. Então fizemos um acordo, nós íamos aproveitar a viagem sem gastar rios de dinheiro, mas também não íamos visar apenas a economia, se fosse para gastar com algo que queríamos, nós íamos gastar. Afinal, essa viagem foi um presente que nós mesmas nos demos por um ano de trabalho duro. Graças a minha irmã, que é muito boa em finanças, nós conseguimos fazer tudo o que queríamos e muito mais, gastando bem menos do que o nosso orçamento inicial. E graças também aos amigos que fizemos pelo caminho, que nos receberam super bem. Resultado? Voltamos para casa com uma graninha poupada. Então a minha dica é, planejamento! Planejem bem a viagem, saiba onde você vai gastar. Quando você chega ao destino as coisas mudam e você pode economizar ou gastar um pouco mais, mas é essencial ter um planejamento e ficar de olho nele ao invés de ser levado(a) por impulso. Agora vou parecer um pouco contraditória, mas enfim… apesar de um ter um bom planejamento saiba fazer escolhas de última hora. Às vezes você encontrará ótimas oportunidades pelo caminho, oportunidades que não estavam planejadas e que não seguem um cronograma, mas é preciso pega-las porque são muito boas! Pegue! Eu a minha irmã seguimos nosso planejamento como base, e sempre voltávamos a ele, inclusive imprimimos todo o roteiro com os gastos inclusos e levávamos para cima e para baixo para consultarmos, mas no meio do caminho encontramos ótimas oportunidades e decidimos que precisávamos segui-las. Foi incrível! Resumo, seja organizado, consciente e analítico, só não seja quadrado e chato. Pô, você está de viagem, por favor, aproveite! hahahahaha. Ah, só uma coisinha. Aproveite promoções, a nossa passagem foi barata porque aproveitamos uma promoção de última hora, então fiquem de olho, vai que surgem uma oportunidade bacana?

No Chile tem terremoto? Sim, o país está em uma zona de risco. E várias vezes passou por terremotos. Mas, isso não atrapalhou a nossa viagem.

O Chile é um país legal para conhecer? O quê?! É incrível! O povo é bem amistoso, e natureza é maravilhosa! Você pode estar no mar e viajar apenas três horas para encontrar os Andes e seus picos nevados. O que eu mais gostei, com toda a certeza, foi a natureza! Dá para fazer muitos esportes radicais, caminhadas, ou se preferir tem aquela coisa mais calma e charmosa de aproveitar um bom vinho no inverno. Olha aí casais, o Chile é uma ótima pedida para uma viagem romântica. Enfim, tem para todos os gostos. Mas eu voltaria pela aventura, hahahaha, só digo isso, “Patagônia, me aguarde!” (SONHO).

E com esse pensamento termino o meu guia. Ficou meio longo, mas tentei dar o máximo de detalhes. Espero que ajude a todos, e se precisarem de mais dicas ou se tiverem alguma dúvida, já sabem 😉 Escrevam nos comentários abaixo.

Um grande abraço para todos, e nos vemos na próxima!