Costumamos gastar um bom tanto da vida só esperando. Esperamos que tudo esteja bem ao nosso redor para podermos ser felizes. Esperamos que as pessoas nos aceitem para que possamos nos amar de volta. Esperamos que a vida se mostre gentil o suficiente para que possamos encontrar a paz. Esperamos que as oportunidades caiam do céu para tomar uma iniciativa.

Não esperamos só por paciência, antes fosse! Paciência tem um bocado de calma e fé. Sentimentos bons de cultivar. Mas na real, boa parte das vezes esperamos por medo e insegurança. Quem nunca né? Ficou morgando na sala de espera da vida por escolha própria.

Tem uma frase do Thoreau que eu gosto muito que diz assim:

Se você já construiu castelos no ar, não tenha vergonha deles. Estão onde devem estar. Agora, dê-lhes alicerces.

Nossos sonhos nunca nascem de um pensamento puramente racional. Eles são construídos nas nuvens, dentro de nós, costumam ser formas abstratas e pouco visíveis. Quando surgem podemos apenas senti-los, não toca-los. Então vem a parte um pouco mais trabalhosa, construir os alicerces. Fundar nossos sonhos perto do chão para levantar uma escada de acesso para alcança-los. Esse processo requer trabalho, paciência, e uma boa dose de determinação. Sonhos não se constroem sozinhos e normalmente perdem a força com o passar do tempo em que ficam renegados ao segundo plano, pegando pó no canto da sala.

Muitas coisas boas que podem acontecer na nossa vida costumam sumir nas brumas dos nossos medos. Passamos, então, boa parte da vida esperando… esperando o amor, esperando a paz, esperando a auto aceitação, esperando a calma, etc. Esperamos por conveniência e procrastinação. E então a vida manda o saldo, e que supresa! Só perdemos.

É importante ter uma dose de irrealidade para criar sonhos, mas é preciso uma outra dose cavalar de realidade para colocá-los em prática. Nem tudo vai sair como o esperado, mas se as coisas não correrem na velocidade que desejamos que seja pelo menos por fatores externos e não pelo medo que carregamos dentro de nós.

A calma vem em saber que a vida não é perfeita, e não podemos esperar que seja. Mas mesmo assim, ainda podemos dar um jeito de tirar o melhor das nossas tempestades  😉

 

Com amor,

Hady