Category

Simplicidade

Simplicidade

Não muito, nem pouco.

Hoje acordei me sentindo extremamente egoísta. Deitada na cama fiquei pensando nas desculpas que dei para as pessoas que eu amo. Desculpas para não conversar um minuto a mais pelo telefone, para não mandar uma mensagem dizendo um simples olá ou o tempo que gastei dentro de uma sala trabalhando ao invés de estar com que eu queria estar. Aos poucos essa rotina está ficando confortável. Eu trabalho até tarde, estudo, durmo um bocado aos sábados, tomo uma caneca de café reforçado e volto a trabalhar, estudar, trabalhar, estudar… A grande desculpa é; “não posso me focar em nada além disso, esse é meu momento de pegar o leão pela juba e lutar pelas minhas conquistas”. O que não acho que esteja de todo errado, mas por outro lado me sinto superficial com as minhas relações pessoais.

Continue reading

You may also like
Fotografia
Conheça Isolda e Babette
22 de novembro de 2017
Fotografia
Pedaços do Cotidiano #2
20 de novembro de 2017
Diário Vida
Diário de um feriado
2 de novembro de 2017
Simplicidade

Minimalismo. Ser ou não ser?

Minimalismo está em voga. Design minimalista, estilo minimalista, decoração minimalista, foto minimalista e por fim uma filosofia de vida minimalista. Mas na verdade o minimalismo começou mesmo como uma corrente artística, em que a principal meta era utilizar elementos mínimos e básicos. Hoje associamos o minimalismo a tudo aquilo que é reduzido ao essencial, simples e clean.

Em relação ao estilo de vida o minimalismo se reflete como uma proposta de dedicar-se àquilo que realmente importa e descartar tudo que for desnecessário, como um meio para alcançar uma realização pessoal.

Desde que comecei a me dedicar à ideia de ter uma vida mais simples muitas pessoas vieram me perguntar se eu seguia o estilo minimalista. Bem, hoje vou falar um pouco sobre isso, e como optei por não me engessar numa categoria “SOU MINIMALISTA”, mas sim aproveitar o que há de bom nesse conceito e adequá-lo às minhas reais necessidades.

O minimalismo é muito interessante quando você começa a “conhecer” pessoas que o praticam. Na internet há vários blogs que abordam o tema, como esses aqui:

E depois de passar horas lendo artigos, acompanhando opiniões e diários dessas pessoas acabei concluindo que de certa forma o minimalismo é uma das melhores opções de vida. Ainda mais na atual situação que nos encontramos. O mundo consumindo cada vez mais, as pessoas trabalhando ainda mais, e tudo se resume ao mais, ter mais, ser mais, ao invés de simplificar complicamos a nossa vida. E sabemos que a felicidade nem se conta na quantidade de coisas que temos, tarefas para fazer, quantidade de salário, ou amigos na lista de contatos. Simplificar é preciso.

“Então você é minimalista Hadassah?”. Bem, chegamos ao ponto. O minimalismo é uma tendência, e mesmo que existam regras definidas sobre como seguir o estilo de vida minimalista, ainda é possível você adequar ao seu estilo, e suas reais necessidades. Talvez você não precise largar tudo, fazer uma reforma na casa, sair do emprego ou desistir de certos sonhos para começar a simplificar a tua vida. Mas quem deve decidir o que fazer e como fazer deve ser nós mesmos. Há coisas que precisam de medidas extremas, outras nem tanto. Admiro quem o faça, mas sou sincera a ponto de aceitar que ainda tenho os meus apegos. Mas por exemplo, me livrar de roupas, tudo bem. Me livrar de maquiagens, por mim ok, inclusive comentei em um post como fiz para reduzir meus cosméticos. Mas… sempre tem o mas. Ainda tenho certas coisas que eu não conseguiria me livrar (por hora) e que os minimalistas aconselham a ser livrar.

Ser ou não ser minimalista, eis a questão. Essa palestra do Graham Hill, no Ted, pode te ajudar a mudar algumas ideias:

Simplificar sempre, mas com equilíbrio, bom senso. Acho que faz bem para todo mundo se conhecer e saber fazer bom proveito do que aprende. O que significa que eu não vou sair por aí me desfazendo de alguns objetos que me trazem boas lembranças, que não vou resumir a minha casa a uma cama e uma cadeira, etc. Ao passo que também vou analisar a real necessidade de certas coisas, me desfazer com mais facilidade de outras e assim diminuir o que sobrecarrega minha vida.

Acho que não há ninguém que nos conheça melhor do que nós mesmos. Então antes de qualquer iniciativa análise sua vida e vá com calma. Suas decisões serão bem mais certeiras quando feitas com razão.

Algumas perguntas e considerações que ando fazendo a mim mesma:

  • Você precisa comprar isso, ou você está apenas empolgada?
  • Você precisa guardar isso? Ainda tem utilidade?
  • Esse sentimento vai te fazer andar para frente ou vai fazer você gastar seu tempo com sofrimento desnecessário? Última opção? Então descarte.
  • Simplifique sua rotina. Se concentre nos seus compromissos e faça! Depois aproveite o tempo com assuntos para a alma.
  • Tenha menos e invista em qualidade. Não importa se são coisas materiais ou assuntos da vida pessoal. A regra é a mesma.
  • Estabeleça metas para tua vida, e não espere ninguém te cobrar. Faça por você mesmo. Ah, mas não esqueça; flexibilidade é preciso.

Até a próxima pessoal!

Me acompanhe pelas redes sociais: FACEBOOK / INSTAGRAM / SKOOB / YOUTUBE / PINTEREST 

Foto via: Pexels

You may also like
Literatura
Destination Simple – rituais diários para uma vida com mais calma
17 de novembro de 2017
Uncategorized
Batismo
19 de julho de 2016
Uncategorized
Pôr do sol em Pedra Bela com muito amor
30 de Março de 2016
Simplicidade

Descobrindo a Simplicidade

Meu último ano de faculdade foi muito importante em vários aspectos da minha vida. Já falei aqui sobre as minhas escolhas, inclusive a de voltar para o interior e desistir de alguns sonhos. Mas além da preocupação com a carreira, com a “vida adulta”,  foi nesse mesmo ano que descobri que eu andava meio frustada com o mundo em geral. Não sei se vocês passaram, ou passam, por isso. Parece que tudo é correr atrás de vento. Às vezes as pessoas me pareciam como loucas, correndo e correndo atrás do próprio rabo sem verem o que estava à diante daquele pequeno círculo, e eu também estava nessa.

Um dia sem saber muito bem o que fazer pedi para Deus que Ele me ajudasse (não sei qual é a sua crença, mas vejo Deus como um amigo, o melhor deles. Então esse texto tem muito a ver com Ele. E sei que não importa as diferenças entre nós, somos maduros o suficiente para respeitar isso, certo? Bem, voltando…) então um dia pedi para Ele me ajudar a encontrar algo além, porque eu precisava tomar um rumo na minha vida.

Acredito que Deus fala de diversas maneiras com a gente, Ele pode falar através de uma pessoa que passa por você na rua, em um livro, em uma criança, na natureza, filmes, enfim, Ele tem muitas maneiras de se manifestar. Então pedi para que Ele me ajudasse a escolher um caminho a seguir após a formatura. Pedido feito, aquietei meu coração e comecei a me concentrar para ver se entendia o que viria a seguir. Porque eu sabia que Ele ia responder, é preciso por fé nessa vida, do contrário não sai nada.

Não lembro muito bem como foi a sequência dos fatos, mas comecei a ler todos os dias Eclesiastes capítulo 9: 4-10. Li numa versão chamada A Mensagem, e nessa versão há um título logo acima desses versos que está escrito APROVEITE O DIA. Se você puder, ou quiser, leia esses versos. Salomão diz que é preciso apreciar a vida que Deus lhe deu como presente da melhor maneira possível, pois só temos uma chance. Fiquei vários e vários dias pensando nos versos de Salomão, e no APROVEITE O DIA, me parecia familiar essa expressão. Claro! CARPE DIEM, uma das frases mais usadas em um dos meus filmes favoritos “A Sociedade dos Poetas Mortos”. Baixei o filme no mesmo dia. Voltei da faculdade e coloquei para rodar. Mais uma vez o filme foi muito bom, mas dessa vez ele me falou de uma maneira diferente. Peguei um caderninho e anotei alguns autores que eles citaram. Foi então que descobri Thoreau e a poesia de Walt Whitman.

As coisas começaram a fazer certo sentido desde então. Eclesiastes dizendo “vá, viva ao lado das pessoas que você ama, você só tem essa vida, aproveite da melhor maneira!” Thoreau e sua ideia de simplicidade voluntária, essa ideia de sair do borburinho do mundo para se reencontrar no natural, inclusive já escrevi sobre algumas lições que aprendi com ele (clique aqui para ler esse post também)Whitman com sua poesia:

Aproveita o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido… – Whitman

E então as ideias começaram a se encaixar. Eu já estava nesse processo fazia algum tempo. Poxa, vivi no campo desde pirralha! Estudei em casa até os 16 anos, cresci sem amarras e em meio à natureza. O que havia de complicado em voltar? Só porque todo mundo me dizia que é preciso ter um emprego bacana em uma cidade badalada? Não, isso nunca me chamou atenção. Eu tinha todos os meios para colocar em prática a tal ideia de ter uma vida simples, e dessa vez por escolha própria. E tudo foi se encaminhando, meu pai topou a ideia de eu tentar a vida por conta própria, ao invés de procurar um emprego na cidade grande. Minha família me aceitou de volta na roça (hahaha) e meu coração começou a se acalmar. No final do ano de 2014, enquanto fazia minhas malas para voltar para casa percebi que tinha muita tralha acumulada durante os quatro anos de faculdade. Montei um bazar, vendi o que deu, dei a maioria, e no final das contas voltei para casa com apenas duas mochilas. E foi lá que também deixei minha tralha emocional, tudo ficou para atrás em algum lugar do meu passado. Se é para começar uma nova etapa, que comecemos sem peso extra. E estou nessa desde então. Tentando encontrar meu caminho. Tentando simplificar minha vida. Estou feliz. Tenho meus livros, tenho a natureza, minha família, a chance de fazer algo de bom para os outros, mas acima de tudo, tenho Deus me dizendo: “Colha seu dia, olhe os pássaros livres no céu, as flores no campo, de todos eles tenho cuidado, então relaxa… de você muito mais.”

Sei que Ele está cuidando do que ainda está por vir, tanto na carreira quanto na vida pessoal, só preciso me manter firme no que acredito. O resto, confio e faço a minha parte, sempre vem.

OBS: Vocês pediram bastante na pesquisa para que eu escrevesse mais sobre vida simples. Prometo me dedicar mais nesse tema. E como eu tinha de começar por algum lugar, que fosse pelo começo de tudo, não acham? Hahahaha 😀 Mas fiquem tranquilos, nos próximos posts não vou falar tanto da minha história e sim dar mais dicas sobre esse assunto, como também dicas de sites, livros, etc.

No vemos na próxima, e obrigada por tudo pessoal!

OBS 2: Ouçam essa música, eu não conhecia até uma leitora comentar no meu Instagram que ela lembrava muito de mim. E amei do começo ao fim, faz muito sentido! Talvez faça para vocês também.

Me acompanhe pelas redes sociais: FACEBOOK / INSTAGRAM / SKOOB / YOUTUBE / PINTEREST 

You may also like
Estilo
Blackbird
24 de novembro de 2017
Literatura
Destination Simple – rituais diários para uma vida com mais calma
17 de novembro de 2017
Fotografia
Sweet Child O’ Mine
18 de Março de 2017
Literatura Simplicidade

Lições que aprendi com Thoreau

Walden, ou Vida nos Bosques, foi um livro divisor de águas na minha vida. Quando o li ano passado eu estava numa fase conturbada, fim de faculdade, decisões para tomar e pouca vontade de viver correspondendo às expectativas dos outros ao invés de seguir meus instintos. Vocês podem imaginar.

Thoreau tornou-se um parceiro de ideais, um autor que me fez entender minhas vontades e perceber que não é loucura querer uma vida simples, está certo que precisa de uma certa dose de coragem, mas não é algo impossível. Desde então reli diversas vezes o livro e apesar de não seguir todas as ideias de Thoreau, até porque acredito que preciso ter minhas próprias ideias, decidi compartilhar com vocês as principais lições que aprendi com esse cara que decidiu largar tudo para viver nos bosques de uma maneira simples e provar a natureza no seu estado mais puro.

“Conhece-te a ti mesmo”. Para isso se necessita visão e coragem.

blogvuou_livro_thoreau_4

NÃO FUJA DA VIDA, ENFRENTE! 

Refugia-te debaixo das nuvens, enquanto os outros fogem para os carros e abrigos. Ganhar a vida não seja o teu ofício, mas o teu esporte. Desfruta a terra, porém sem possuí-la. Por falta de fé e iniciativa, os homens estão onde estão, comprando e vendendo, desperdiçando a vida com escravos.

Desde muito cedo aprendemos que na vida as pessoas possuem expectativas sobre nós, e que precisamos corresponder a elas. E quanto mais corremos atrás disso mais frustrados ficamos. Podemos até ganhar dinheiro, sermos famosos e bem-sucedidos nos nossos trabalhos, mas se não fizermos isso por pura vontade e amor de nada adianta. Aprendi com Thoreau que enquanto a maioria corre para se abrigar nas asas do conforto e dos sistema eu devo me atrever a correr contra a maré, que preciso enfrentar a tempestade debaixo das nuvens. Que o meu trabalho deve ser feito com alegria e não apenas como uma forma de sobrevivência. De nada adianta ter o melhor salário do mundo e ser frustrado. O valor das coisas não se conta apenas pelo dinheiro que se ganha. Você pode até ter um trabalho que ganhe menos, mas se você gostar do que faz e conseguir manter-se tendo uma vida digna é o que importa. Conte como um valor, felicidade interna bruta hahaha.

VOCÊ É E SERÁ AQUILO QUE CONSTRUIR

Todo homem é o construtor de um templo, que é o seu corpo, para o deus a que adora; e segue um estilo puramente seu, não podendo desincumbir-se martelando o mármore em vez de si mesmo. Somos todos escultores e pintores, e o material é nossa própria carne, sangue e ossos.

Todos nós sabemos que somos feitos de escolhas, então saiba aproveitar para fazer as melhores escolhas. Cuide do seu corpo da melhor maneira que puder, cuide daquilo que você come, faça exercícios físicos, e evite coisas que todos nós sabemos que não fazem bem, vícios e falta de cuidados com a saúde. Um dia vamos colher os frutos das nossas escolhas. Cuide também do seu espiritual e intelectual. Acredite em algo e tenha fé. Mantenha sua mente ativa, aprenda coisas novas e não fuja das experiências, enfrente você mesmo, seus medos e traumas. Seremos sempre uma caixa de surpresas, mas quanto melhor nos conhecermos melhor poderemos entender a nós e o universo em volta.

O que um homem pensa de si, eis o que determina, ou pelo menos indica o seu destino.

TENHA UMA VIDA SIMPLES

A vida é mais deliciosa no que é mais íntima. Estais a salvo de vos tornar pessoas frívolas. O homem jamais perde num nível inferior por magnanimidade num superior. Riqueza supérflua pode comprar apenas supérfluos. Não é preciso dinheiro para se comprar o indispensável à alma.

Thoreau era até meio extremista no sentido de levar um estilo de vida simples, e apesar de não achar que tudo que ele escreveu seja viável atualmente, até por que ele viveu de 1817 a 1862 numa época totalmente diferente da nossa, acredito que a essência de suas ideias de vida simples são muito boas. Não precisamos ter tudo que a indústria “diz que precisamos adquirir”, e sendo uma publicitária sei bem o que isso significa. Ter uma vida simples para mim é trocar os valores, ao invés de dar importância a bens materiais é importante dar preferência às pessoas e experiências. Não estou dizendo que precisamos largar tudo, aparelhos eletrônicos, livros, roupas, etc, mas sim reduzir aquilo que é desnecessário e levar uma vida onde a qualidade seja mais importante do que a quantidade. Não sou romântica a ponto de dizer que estou fora do sistema, não estou, mas gosto de saber que estou estou consciente disso e que tenho minhas indagações e pontos de vista e que não aceito tudo com um amém.

blogvuou_livro_thoreau_2

PENSE POR SI MESMO

Não resta dúvida de que outra pessoa pode pensar por mim, mas nem por isso é desejável que o faça, impedindo-me de pensar por mim mesmo.

Talvez a situação mais delicada na vida de uma pessoa seja dizer aos pais, amigos, familiares, que ela não pode seguir aquilo que eles querem. Vivemos na sombra das expectativas alheias, mas isso não é bom. Você não pode seguir uma vida planejada por outra pessoa, pensar a partir das ideias dos outros. Seja corajoso em tomar suas decisões e arcar com as consequências. Nossos pais, por exemplo, é certo que colocam algumas expectativas sobre nós, e a maioria das vezes é por amor, por cuidado e não podemos culpá-los. Mas saiba até que ponto eles vão interferir na sua vida. Sempre levei à sério as opiniões dos meus pais, e ainda hoje sou uma filha obediente, mas sei que há certas escolhas que são minhas e de ninguém mais.

ENCONTRE FELICIDADE NAS COISAS INTANGÍVEIS

Se o dia e a noite são de tal natureza que vós os saudais com alegria, se a vida emite uma fragrância de flores e ervas aromáticas e se torna mais elástica, mais cintilante e mais imortal- eis aí vosso êxito. A natureza inteira é vossa congratulação e tende motivos para bendizer-vos. Os maiores lucros e valores estão ainda mias longe de serem apreciados. Chegamos facilmente a duvidar que existam. Logo os esquecemos. Constituem, entretanto, a realidade mais elevada. Talvez os fatos mais estarrecedores e verdadeiros nunca sejam comunicados de homem para homem. A verdadeira colheita do meu dia-a-dia é algo tão intangível e indiscritível como os matizes da aurora e do crepúsculo. O que tenho nas mãos é um pouco de poeira de estrelas e um fragmento do arco-íris.

Concordo plenamente com Thoreau, encontro a felicidade onde poucas pessoas pensam em buscar, na natureza. Ontem mesmo eu estava andando em um pasto perto de uma mata aqui em casa, precisava colocar a cabeça em ordem, e sentada no meio do mato vi um veado-campeiro se aproximar. Foi uma das coisas mais legais que me aconteceram na vida! Custei a acreditar que aquilo estava realmente acontecendo, qual a probalidade? Algo selvagem e livre estava a menos de 6 metros de mim, e eu podia sentir a beleza da natureza intacta em seu estado bruto. O que eu tinha além de um sentimento? Mas não importa, a minha felicidade era pura. Como diria Drummond “as coisas intangíveis, muito mais que lindas, essas ficarão.” Meu punhado de felicidade está em ver um passarinho voando, no som do vento ao bater nos galhos de uma árvore, no cheiro da terra depois da chuva, sou filha da natureza.

blogvuou_livro_thoreau_3

Poderia passar horas falando sobre Thoreau, mas acho que o post já está grandinho, quem sabe eu volte a comentar mais sobre o livro em textos futuros. Então até a próxima pessoal! Espero que vocês possam encarar a vida com coragem, simplicidade e que suas escolhas gerem ótimos frutos. E para finalizar deixo um dos meus pensamento favorito da obra.

Rather than love, than money, than fame, give me truth. I sat at a table where were rich food and wine in abundance, and obsequious attendance, but sincerity and truth were not; and I went away hungry from the inhospitable board.

“Mais que o amor, que o dinheiro, que a fama, dai-me a verdade. Sentei-me a certa mesa onde a comida era fina, os vinhos abundantes e o serviço impecável, mas faltava sinceridade e verdade, e fui-me embora do recinto inóspito sentido fome”.

Por favor não vamos viver a vida como uma mesa farta mas que não sacia. Vamos alimentar nossas almas, vamos lutar pelas nossas verdades, antes que passemos pela vida sem termos realmente vivido.

Simplicidade

Há certas coisas que precisamos fazer o quanto antes

VUOU_vidasimples_1

Nunca fui uma pessoa de organizar as coisas em listas, mas de uns tempos para cá estou adotando a técnica para organizar meus compromissos e metas, olha… tem facilitado, um pouco, não faz milagre, mas enfim.

Mas sabe o que eu descobri com as benditas listas? Elas ficam lá me lembrando e lembrando das coisas que deixei de fazer, e isso me incomoda muito!

Não há prazer maior do que rabiscar um dever cumprido. Aí pensei com meus botões… “farei uma lista de coisas que tenho que fazer no âmbito da minha vida pessoal”.  Nem sempre essas metas são tão fáceis de cumprir, é menos complicado entregar aquele trabalho do que colocar na cabeça que você tem que desencanar daquela sua pira de querer agradar todo mundo. Pois é, viver não é das tarefas mais fáceis do mundo. MAS! Há uma lista que fiz para não esquecer certas coisas que tenho a fazer para tornar minha existência um pouco mais agradável.

VUOU_lista_1

E aí está. Provavelmente eu acrescente com o tempo certas coisas, retire outras, quem sabe? Estou sujeita às mudanças. E se você quiser usar algumas das minhas metas também, fique à vontade.

Vou lá porque o tempo ruge e ainda tenho que escrever uns textos. Adeus e até a próxima

Close