04012017-img_7256-copy

Você provavelmente já viu uma página aleatória de Bullet Journal em alguma foto nas redes sociais e sites por aí. Nos últimos meses a internet pipocou com dicas e sugestões de como começar esse diário/planner. Até então eu não sabia nada sobre as “regras” e conceitos do bullet journal, mas me interessei rapidamente e pulando de site em site fui descobrindo mais sobre o tema, e cada vez me encantando mais! Um diário que é uma lista de afazeres… como poder ser? Simples e extremamente personalizável… ok, é exatamente disso que eu preciso! Organizado por tópicos e que não precisa seguir páginas fixas por dias… já me convenceu, preciso aprender como usar isso agora!

Quanto mais lia sobre a experiência de outras pessoas que usavam o método mais eu me convencia que devia tentar.

Peguei um velho caderno que achei aqui em casa e comecei os primeiros rabiscos do meu bullet journal. Achei que seria complicado me adaptar, por conta das explicações que eu havia lido em um site dedicado somente ao assunto, mas não! Para minha surpresa o conceito do bullet journal é muito simples, e percebi que meio que eu já fazia isso instintivamente já havia um tempo. Para minha alegria foi só unir o útil ao agradável e ingressar de vez nesse universo de organização.

Publiquei tempos atrás um post aqui no blog mostrando a minha nova agenda para 2017 e perguntei se vocês gostariam de saber mais sobre o que é e como começar um bullet journal. Como recebi mensagens positivas de leitores interessados cá estou para compartilhar um pouco mais sobre o assunto. Esse é o primeiro post de uma série que pretendo fazer com o passar do tempo. Isso porque são tantas informações e tantas sugestões sobre esse tema que não vou conseguir explicar em um único post tudo que tenho para compartilhar. Essa é só uma introdução, se vocês gostarem prometo escrever mais 🙂

Então, comentem no final do post se vocês gostariam que eu continuasse escrevendo sobre o tema.

Vamos lá?

04012017-img_7259

Afinal de contas o que é um Bullet Journal?

É uma lista de afazeres, um diário, um planner? Bem, não é somente uma coisa ou outra, na verdade é tudo isso! Apesar de na essência o conceito ser aplicado a uma lista rápida e simples de atividades para efetuar no dia a dia, o bullet journal pode ser adaptado como você quiser. Muitas pessoas usam o bullet journal como uma maneira rápida e dinâmica de organizar a rotina, como também para guardar suas lembranças, unindo tanto o trabalho quanto a vida pessoal em um único lugar.

A maneira como eu uso o bullet journal não separa nada, une tudo. Pode soar desorganizado, mas confie em mim, faz todo o sentido! O método do bullet journal nos ajuda a gravar todas as coisas que estão acontecendo na nossa vida tornando mais fácil manter o controle dos planos e metas que queremos fazer no futuro.

Quando montamos uma agenda com uma lista de afazeres geralmente nos concentramos apenas nas tarefas a serem cumpridas naquele dia. Agora vamos parar para pensar um pouco, todas essas tarefas e também aquilo que acontece fora das nossas tarefas são a imagem completa do que somos. Então, qual o problema de unir tudo isso em um único lugar? Antes de começar o meu bullet journal eu separava todas as tarefas por temas, vida pessoal, trabalho 1, trabalho 2, freelas, etc. Eu tinha uma porção de aplicativos e cadernos que só me confundiam. Depois de bullet journal tudo está em um único lugar! Para minha surpresa não ficou confuso, ficou mais a minha cara e mais compatível com meu estilo. Essa é a graça do bullet journal, ele uma boa maneira de entender-se mais livremente e descobrir como reorganizar a rotina.

Quem criou?

O Bullet Journal foi desenvolvido pelo designer digital Ryder Carroll que vive em Brooklyn, NY. Ele começou criando um sistema para si mesmo, para organizar melhor sua rotina e através de muitos anos de tentativa e erros, o sistema evoluiu e acabou virando o conceito do  Bullet Journal que hoje inspira muitas pessoas ao redor do mundo. Carroll vê seu sistema como uma prática evolutiva e adaptável, destinada a ser auto curada, isso significa que é você quem determina o que funciona melhor para você mesmo.

04012017-img_7263

Como funciona?

Processed with VSCOcam with c1 preset

O bullet journal é um sistema de organização que funciona à partir de ícones. Os ícones básicos criados por Carroll são: bolinha para compromissos, caixinha de “check” para tarefas e hífen para informações importantes. Mas também podemos usar um asterisco para atividade de prioridade e um ponto de exclamação para aquilo que você precisa prestar atenção. Um ✔️ de “check” quando uma tarefa for concluída, uma flecha para a direita quando ela tiver sido adiada /realocada e um X quando for cancelada.

Basicamente o bullet journal é usado para:

– Planejar: Planejar o seu dia, sua semana, seu mês, seus projetos e outras atividades.

– Organizar: Listar informações úteis, como dados importantes, checklists e outros.

– Registrar: Registrar gastos, atividades, o que comeu, livros lidos, lembranças, acontecimentos, etc.

Por que usar papel e caneta ao invés de tablets, celulares e computadores?

Essa é uma das graças do bullet journal, usar o papel! Eu sei que vai muito do gosto pessoal. Há pessoas que não conseguem viver sem aparelhos eletrônicos e toda a vida delas gira em torno de um aparelho. Mas vamos parar para pensar. O ser humanos usa as mãos para aprender as representações gráficas dos sons, que são palavras, e a alfabetização ainda é feita através da escrita apesar de toda a tecnologia disponível. Há uma razão por esse sistema ainda ser feito assim. Isso porque escrever com as mãos envolve mais sentidos do que a digitação.

Não quero desmerecer o uso da tecnologia, longe disso! Mas por outro lado acredito ser importante não perdermos velhos hábitos. Escrever é uma maneira de envolver-se mais com a criação do seu bullet journal, de personalizar com a sua letra, de colar, desenhar e criar o que você quiser em um papel em branco. Tocar o papel, sentir a agenda nas mãos, etc… são essas pequenas e simples sensações que tornam a experiência mais gostosa.

04012017-img_7266

Por onde começar?

Para começar o seu bullet journal tudo que você precisa é de um caderno e caneta ou lápis. As pessoas que utilizam esse método costumam preferir cadernos com folhas quadriculadas ou lisas, mas esse não é um critério obrigatório. Vai muito do gosto pessoal e claro, do orçamento.

Outra boa dica é ler as instruções de como utilizar o bullet journal direto no site do criador do conceito. Aconselho a leitura.


Por hoje é só pessoal! Antes que o post fique enorme e cansativo vou me despedindo por aqui 🙂

Ah! Não esqueçam de comentar e mandar sugestões, sempre fico feliz em ler os comentários de vocês.

Muito obrigada por tudo!

Com amor,

Hady.