a sutil arte de ligar o f*da-se

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se não é um livro de auto ajuda comum. Ele não promete entregar fórmulas secretas para ser feliz, não diz para você sempre “pensar de maneira positiva”, e todo esse tipo de sucesso enlatado que muitos livros vendem por aí. Mark Manson quer compartilhar o que ele aprendeu durante a sua vida. Ele diz que não existe fórmulas secretas para ser feliz. Que todos nós sabemos que somos cheios de falhas e limitações, mas não adianta fingir que não podemos vê-las – o melhor é reconhecer, aprender e aceitar os limões que a vida nos dá.

Quando eu era adolescente costumava ler muitos livros de auto ajuda. Na época eles tinham uma certa relevância e me ajudavam a lidar com os problemas. Porém, com o passar dos anos comecei a perceber que eu estava apenas reproduzindo o que lia nos livros. Que eu estava deixando de pensar por conta própria e que no final das contas eu só estava seguindo umas fórmulas meio fracassadas para alcançar a felicidade e auto entendimento. No resumo eu era uma fraude, nada do que eu lia e fazia parecia funcionar. Aí aboli os livros de auto ajuda da minha vida e decidi encontrar as respostas para as minhas indagações por conta própria.

Foi somente nesse ano que eu passei a ler uma coisa ou outra do gênero. Apreciando tudo com muita moderação, é claro. Até que vi na seção de lançamentos da editora Intrínseca um título que me chamou a atenção, esse livro era A Sutil Arte de Ligar o F*da-se. Além do título instigante a sinopse também era bem interessante. Um livro que convida o leitor a esquecer tudo o que ele aprendeu sobre auto ajuda, que diz não ser um livro de auto ajuda padrão, era exatamente isso que eu precisava. E não me arrependi de ter comprado. A Sutil Arte de Ligar o F*da-se foi uma leitura fluida e rápida, praticamente devorei o livro!

a sutil arte de ligar o f*da-se

Pensar Positivo? Às vezes a vida é uma droga mesmo, e a atitude mais saudável é admitir isso.

Mark Manson não tem meandros ou meias palavras. Com um estilo honesto e divertido, ele se tornou popular escrevendo em seu blog o que as pessoas realmente precisavam ouvir sobre relacionamentos e sobre a vida em geral. Ele é o tipo de pessoa que acredita que somente umas boas verdades ditas na cara serão realmente efetivas para nos fazer evoluir pessoal e profissionalmente.

O autor fala sobre a sua vida e experiências (tanto as boas como as ruins) que o fizeram amadurecer. Ele não é um psicológico, cientista ou coach, tudo o que ele aprendeu foi através das experiências cotidianas. E isso que é legal! Ao ler o livro eu me senti conversando com um amigo, que fala besteira, uns palavrões, que te dá umas cortadas e te faz rir. É bem diferente de ler um livro de auto ajuda repleto de frases de efeito que só mostram histórias de sucesso e superação. Eu até me sentia mal por não ser tão boa quanto o autor. Com Manson é diferente. Ele fala sobre os seus fracassos, inclusive aqueles que nunca resultaram em sucesso, que só foram fracassos e pronto. Também conta sobre os momentos em que ele foi um babaca, os traumas que passou e como tudo isso o ajudou a perceber que a vida não é fácil, mas pode ser muito boa. Para o autor a vida não é um eterno estado de euforia. Ela pode ser bem tensa em muito momentos, mas depende da gente escolher pelo o que lutar, então foda-se o resto!

a sutil arte de ligar o f*da-se

Assumir a responsabilidade pelos nossos problemas é muito mais importante, porque é daí que vem o verdadeiro aprendizado. É daí que vem o progresso. Culpar os outros é apenas escolher sofrer.

Ah, e muito se engana quem pensa que ligar o foda-se é deixar de se importar com as pessoas, coisas e eventos. Não! Ligar o foda-se não é se tornar um babaca indiferente. Ligar o foda-se é deixar de fantasiar sobre a vida. É entender que viver não é um parque de diversões. Aceitar a realidade te faz estabelecer prioridades. E Manson nos dá algumas pistas sobre como aceitar melhor os altos e baixos da vida.

Leitura mais que indicada! Como escrevi no começo desse post eu tenho alguns receios sobre livros de auto ajuda. Porém, esse é de longe um dos mais sinceros que eu já li. Repito, ler esse livro é como conversar com um amigo, você pode até não concordar com tudo, mas sempre tirará algumas lições estando ao lado dele.

a sutil arte de ligar o f*da-se

a sutil arte de ligar o f*da-se