Viagem, Vídeos

Dica de viagem: Passeio de Quadriciclo – Rio Grande do Norte

maio 27, 2016
trilhaquadriciclo_4

Se você está planejando uma viagem para Natal e já está pensando no roteiro e quais passeios fazer, eu tenho uma dica muito legal! O passeio de quadriciclo é uma ótima opção para os amantes de natureza e aventura. Vai por mim, coloca aí na lista.

Há muitas opções de empresas e guias turísticos que oferecem esse tipo de passeio. Antes de fechar o serviço é uma boa ideia fazer uma pesquisa com algumas opções de empresas para comparar valores, segurança, etc. No meu caso foi muito simples porque eu estava acompanhada de um amigo que fez turismo em Natal e que tinha alguns contatos na área. A nossa escolha foi pela empresa Terra Molhada Turismo de Aventura. Levamos em conta o valor, o transfer, suporte e segurança.
trilhaquadriciclo_1

A agência faz o transfer “gratuito”, o que significa que eles te buscam no hotel ou em um ponto combinado e te levam até o local do passeio que fica em Pirangi do Norte, a uns 40 minutos de Natal. Essa é uma ótima opção para quem estiver sem carro, mas também é possível ir até o ponto de apoio com seu próprio veículo.

O passeio dura em média duas horas e meia, e conta com quatro paradas de um roteiro fixo. No nosso caso a primeira parada foi na sede onde colocamos o nosso equipamento, fizemos um teste de direção com os quadriciclos, recebemos instruções dos condutores e assinamos um termo de responsabilidade.  CONTINUE LENDO…

Comida e Afins

Receita: Macarrão Bifum com vegetais e molho oriental

maio 22, 2016
macarrãobifum1

Durante quatro anos da minha vida o miojo esteve presente em muitas refeições que eu fiz. Quando se é universitário sem tempo e sem dinheiro o tal macarrão instantâneo é uma solução milagrosa para matar a fome durante o períodos de estudos. Desde que me formei não posso dizer que muita coisa mudou nesse sentido, continuo sem tempo e não com muito mais dinheiro (hahahaha), mas ainda bem que enjoei do miojo!

Macarrão instantâneo faz muito mal para a saúde! Corantes artificiais, gordura, sódio em excesso, a lista é grande para um pacote tão pequeno.

Ainda bem que eu fiz uma descoberta meio que por acaso. Um dia eu estava no bairro da Liberdade em São Paulo, e para quem não sabe esse bairro é muito popular na cidade por concentrar uma grande quantidade de lojas, restaurantes e outros estabelecimentos de imigrantes japoneses. Na Liberdade você encontra artigos orientais como roupas, brinquedos, eletrônicos e comida. Principalmente comida!

Bem, onde é que eu estava? Ah, sim! Um dia eu estava na Liberdade com a minha mãe em um mercadinho japa, enquanto eu estava ocupada pegando folhas de algas para fazer sushi pedi minha mãe foi pegar o macarrão para o Yakisoba. Ela trouxe dois pacotes, um com o macarrão normal de yakisoba e outro bem mais fininho e esbranquiçado. Levei os dois para casa e foi aí que descobri o macarrão Bifum.

E o que isso tem a ver com miojo? O macarrão Bifum também é super rápido de preparar, como o miojo, só que é muito mais saudável e particularmente eu acho bem mais gostoso. Como é feito de arroz, e não contém glúten, ele é uma ótima opção para pessoas intolerantes ao glúten e também para quem quer manter o peso, sendo uma opção bem menos calórica. A espessura do Bifum é bem fininha e quando você come o macarrão parece fazer cócegas no céu da boca. É muito bom!

macarrãobifum6

Então vamos à receita? CONTINUE LENDO…

Livros

Anne foi minha melhor amiga

maio 20, 2016
odiariodeannefrank2

Quando eu tinha 12 anos li pela primeira vez O Diário de Anne Frank. Na época eu estudava em casa e meu círculo social era bem reduzido, se formos comparar com as demais crianças da minha idade que frequentavam a escola “normal”, o que não me incomodava em absolutamente nada. Para mim era extremamente normal viver em um mundo à parte, em uma chácara com meus pais, irmãos, cachorros, papagaio, mini vaca, pônei, lagartos, galinhas, tartarugas, tucano, macaco, etc. Sim, já tive muitos animais! Era divertido ser diferente e aproveitar os benefícios de uma vida mais livre, longe de uma sala de aula. Era eu, uma casinha no campo, minha família, meus animais e meus livros. Fui muito feliz vivendo assim.

odiariodeannefrank1

Hoje, mais madura e um pouco mais vivida, reconheço que aos doze anos minha visão de mundo era bem diferente das demais crianças da minha idade. E os livros que eu lia foram muitos responsáveis por isso. Foi nas páginas gastas de muitos livros que encontrei minhas amizades mais duradouras. Não achem estranho. Há pessoas que se sentem mais confortáveis vivendo outras histórias, em outros universos. Muitos personagens tornaram-se meus amigos e conselheiros.

Uma das minhas melhores amigas dessa época foi Anne Frank. Quando li os primeiros capítulos do seu diário senti uma atração instantânea pela personalidade da menina. Eu sentia com se a conhecesse de longa data, nossas opiniões combinavam apesar de ela ter vivido muitos anos antes de mim, numa época diferente e num cenário mundial bem mais crítico. CONTINUE LENDO…

Comida e Afins

Receita: Financiers

maio 18, 2016
receitavuou5

Financiers é um quitute francês que é um mini bolo, e mesmo sendo muito simples ao olhar é só dar a primeira mordida para notar que não é qualquer bolinho. O segredo é a farinha de amêndoas que deixa o bolinho com uma casquinha crocante e no interior uma massa fofa e saborosa.

Os Financiers surgiram quando um confeiteiro francês decidiu mudar o formato de seus tradicionais bolinhos. Ele assou os bolinhos em formato retangular, lembrando o formato de uma barra de ouro, e os chamou de Financiers para chamar a atenção da clientela dos arredores da confeitaria, que ficava em um bairro onde a bolsa de valores operava em Paris. Uma sacada genial! Os Financiers tornaram-se os bolinhos dos financeiros. Eu não consegui encontrar forminhas nesse formato para vender, então usei as de cupcakes que eu já tinha aqui em casa. Então não é obrigatório o uso de forminhas retangulares, só se você quiser fazer da maneira mais tradicional.

Os Financiers fizeram muito sucesso por aqui! Com café recém passado para acompanhar eles ficam ainda mais gostosos. É uma ótima opção para acompanhar um chá da tarde, para oferecer para visitas ou de café da manhã :)

A receita é muito fácil, só é preciso um pouco de paciência.

receitavuou3INGREDIENTES:

• 3 claras

• 110g de açúcar de confeiteiro, ou 14 colheres de sopa rasas.

• 55g de farinha de amêndoas, ou 7 colheres de sopa rasas.

• 35g de farinha de trigo branca, ou 5 colheres rasas.

• 100g de beurre noisette (que vou ensinar a preparar a seguir).

MODO DE PREPARO

Em uma vasilha de vidro coloque as claras e passe pela peneira o açúcar de confeiteiro, a farinha de amêndoas e a farinha de trigo. Misture bem com uma colher de pau até a massa ficar bem homogênea. Agora adicione a beurre noisette que nada mais é que uma manteiga clarificada quase queimada. Primeiro você leva a manteiga ao fogo bem baixinho, quando ela estiver bem derretida a manteiga vai separar as partículas sólidas das líquidas, essa é a manteiga clarificada, agora é preciso esperar até que a manteiga pare de borbulhar e ganhe uma cor marrom, de caramelo. Desligue o fogo, espere esfriar e então passe o líquido por uma peneira fina para tirar os resíduos sólidos. Então, é só adicionar à massa e misturar bem. Quando a massa estiver pronta cubra-a com um plástico filme e leve para a geladeira de um dia para o outro.

receitavuou2

CONTINUE LENDO…

Viagem, Vídeos

A família “Buscapé” em Paraty

maio 4, 2016
paraty_1

Situada a 258 quilômetros da capital, a cidade do Rio de Janeiro, Paraty foi uma importante sede no período colonial com o mais importante porto exportador de ouro do Brasil. O ouro vinha de Minas Gerais através da estrada real, era carregado em navios e levado para Portugal. Por isso, até hoje o centro histórico da cidade preserva as características da arquitetura da época. Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés e muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré.

Paraty é uma cidade que me causa muito fascínio. Adoro o clima (tirando o calor), os habitantes, as ruas charmosas, a arquitetura e energia do lugar com muita arte, música, cores e sabores! Quando minha família decidiu botar o pé na estrada para passar um final de semana por lá obviamente que eu fiz a minha mochila, carreguei a bateria da câmera e gravei um vlog para vocês. Ah, e claro, tirei muitas fotos!

paraty_2

paraty_3

paraty_5

paraty_8

VEJA MAIS FOTOS CLICANDO AQUI…

Estilo de vida, Livros

Seja um demente, estúpido, e santo de sua mente – Conselhos de Kerouac para escrever

abril 28, 2016
Jack_Kerouac

On the Road foi o primeiro livro que eu li do escritor norte-americano Jack Kerouac. Consagrado como a “Bíblia Hippie”, Kerouac escreveu o livro em apenas três semanas. O estilo narrativo alucinante e caótico do escritor conquistou os editores e seu livro tornou uma referência da geração beat. Apesar da dificuldade inicial que tive na leitura de On The Roadprincipalmente de adaptação ao estilo de escrita do autor, esse livro mudou minha visão e me apresentou a um mundo totalmente novo na literatura.

Dias atrás encontrei uma lista na internet em que autor pontua alguns conselhos para escrever. Achei genial! Preciso compartilhar. Saboreiem junto comigo:

Crença & Técnica para Prosa Moderna

1. Cadernos Secretos cheios de rabiscos, e furiosas páginas para seu próprio prazer.

2. Siga sempre aberto a tudo, ponha-se atento.

3. Tente nunca se embriagar fora de casa.

4. Ame a sua vida.

5. Qualquer coisa que você sentir encontrará sua própria forma.

6. Seja um demente, estúpido, e santo de sua mente.

7. Vá o mais fundo que quiser.

8. Escreva o que desejar, ilimitadamente, do fundo da sua cabeça.

9. As visões indizíveis do indivíduo.

10. Não perca tempo com poesia, escreva exatamente o que é.

11. Tiques visionários sacudindo o peito.

12. Em estática concentração, sonhe com o objeto à sua frente.

13. Elimine as inibições literárias, gramaticais e sintáticas.

14. Como Proust, seja um velho maconheiro do tempo.

15. Conte a história verdadeira do mundo em um monólogo interior.

16. A pedra preciosa do foco do interesse é o olho dentro do olho.

17. Escreva lembrando, espantado, de si mesmo.

18. Trabalhe a partir do néctar do seu interior, nadando no mar da linguagem.

19. Aceite a perda definitiva.

20. Acredite no contorno sagrado da vida.

21. Lute para esboçar o fluxo que já existe no intacto da mente.

22. Não pense nas palavras, quando parar, mas procure ver melhor o quadro.

23. Não perca de vista todo o dia, a data que sua manhã anuncia.

24. Não tema nem se envergonhe da dignidade de sua experiência, linguagem e conhecimento.

25. Escreva para que o mundo leia e veja os retratos exatos que você faz dele.

26. Livro – é o filme em palavras, a forma visual americana.

27. Dê louvor à Pessoa na Solidão Desolada e desumana.

28. Componha de forma selvagem, indisciplinada, pura, tudo vindo do fundo, quanto mais louco melhor.

29. Você é um gênio o tempo inteiro.